Tags

Related Posts

Share This

Como investir nesse mundo de desigualdades?

Muitos investidores buscam formas alternativas para se investir. Mas a verdade é que poucos podem investir. Basicamente investir já é uma forma de separação social muito grande. Mas como quem está nas camadas mais altas da sociedade investe seu dinheiro? A resposta é investir no tesouro direto.

Ter a propriedade de um título é ter a propriedade de um fluxo de pagamentos futuros em dinheiro. Esses pagamentos em dinheiro são geralmente feitos sob a forma de pagamentos de juros periódicos e o retorno do principal (quanto você pagou pelo título do tesouro direto) quando o prazo estipulado termina. Na ausência de risco de crédito (o risco de inadimplência), o valor desse fluxo de pagamentos futuros em dinheiro é simplesmente uma conta de qual é o seu retorno exigido com base nas expectativas de inflação de um país ou algum outro índice oficial. Se isso soa um pouco confuso e técnico eu sei, mas não se preocupe, este post aqui no Pobre Mundo Rico vai fazer você entender exatamete sobre o que estamos falando. Se você é pobre, poderá começar a investir também e diminuir essas desigualdades tão injustas, que são culpa de anos de PT no governo.


Existem dois riscos principais que devem ser avaliados quando se investe em tesouro direto seja qual for a modalidade. O primeiro é o risco de taxa de juros e o segundo é risco de crédito de um país (sim, paises podem deixar de pagar ou até mesmo falirem, veja você o exemplo da Grécia). Embora nosso foco esteja em como as taxas de juros e como isso afeta o preço dos títulos, é importante que um investidor em tesouro direto esteja ciente do risco de crédito. Risco de taxa de juros é o risco de mudanças no preço de um título devido a mudanças nas taxas de juros vigentes. Como o tesouro direto é o investimento com menor retorno comparado aos outros, isso acaba influenciando diretamente.